Infertilidade e tumor de hipófise

infertilidade

Embora a hiperprolactinemia (produção excessiva de prolactina) seja a causa menos conhecida de infertilidade, ela não é tão rara assim! Ela é responsável por até 25% dos casos de amenorreia, a ausência regular de menstruação e geralmente é identificada primeiro por um ginecologista durante avaliação da mulher.

Mas o que é essa doença? Ela é causada pela produção excessiva da prolactina, um hormônio produzido pela glândula hipófise, que fica localizada na base do crânio. Esse hormônio é responsável pela produção de leite durante a amamentação. A alta dosagem do hormônio presente no sangue pode trazer consequências graves à saúde da mulher, como a galactorréia (produção de leite fora da gestação) e a dificuldade de gravidez. Em homens, o distúrbio se manifesta por disfunção erétil, redução da libido, infertilidade e hipogonadismo, que é a diminuição da produção de espermatozoides.

As causas do aumento de prolactina podem ser:
– fisiológicas: quando o próprio organismo aumenta a liberação de prolactina, como na gravidez ou no estresse
– farmacológica: causada pelo uso de medicamentos
– patológicas: quando envolve alterações da glândula hipofisária e tumores benignos secretores de prolactina, conhecidos como prolactinomas

Por esse motivo todos os pacientes com prolactina alta acabam precisando de uma ressonância do crânio. Caso seja identificado um prolactinoma procure um neurocirurgião especialista para auxiliar seu tratamento.

Conheça mais nosso trabalho emwww.raquelzorzi.com.br

Deixe uma resposta